Autores

Cida Reis > Diretora do Filme MOCAMBO

 

Cida Reis fez curso superior em Historia, Pos Graduação em Administração Publica. Estudou audiovisual na Escola Livre de Cinema e participou das Oficinas de Roteiro e Direção de Fotografia. Realizou os seguintes filmes: Filme institucional “Ministério Público do Trabalho – 3a Região – Minas Gerais 1939 a 1993”. BH, 2010; Filme doc. “Marias da Misericórdia”, 23`. IBEIDS. Belo Horizonte, 2007; Documentário “Capoeira da Memória - Homenagem aos Mestres” – Capoeira em BH. IV Festival Arte Negra-FMC/PBH/2007; Filme doc. “Salve Maria” - Reinados Negros e Irmandades do Rosário – 52 ́. CRAV/FMC/PBH. BH, 2006; Filme doc. “Um Olhar Sobre os Quilombos no Brasil” 102 ́. BH, 2006.

 

Junia Torres > Diretora do Filme MOCAMBO

 

 

 

Antropóloga e documentarista. Organizadora do  forumdoc.bh desde 1997. Coordena a Associação Filmes de Quintal onde desenvolve pesquisas e projetos junto à comunidades tradicionais e na área do cinema. Como documentarista dirigiu os longas: “O Jucá da Volta” (co-direção Nêgo Bispo); “Nos olhos de Mariquinha” (co-direção: Cláudia Mesquita), “Um Olhar sobre os quilombos no Brasil” (co-direção Cida Reis); “Salve Maria” (co-direção Cida Reis e Pedro Portella); “Aqui favela, o rap representa” (co-direção Rodrigo Siqueira).

Gercino Alves > Diretor do Filme O BOI FOI BEBER AGUA ATÉ CHEGAR NO SÃO FRANCISCO

 

 

Ator, capoeirista e bailarino, à partir de 1996, dedica-se à Companhia Primitiva de Arte Negra, onde realiza pesquisa em teatro, dança contemporânea, folclórica e  popular, capoeira angola e dança afro brasileira, sob orientação do mestre João Angoleiro.

Em 1999 Funda a Associaçao Cultural Irmandade dos Atores da Pândega em Lagoa Santa, promovendo intercâmbios culturais entre mestres da cultura e a comunidade.

Desde então, em seu espaço situado na Rua Melo Viana, 420, Varzea, Lagoa Santa. Vem atuando como professor de capoeira angola, dança afro brasileira e teatro e apresentando o Boi da Manta nas festas populares locais e de outras cidades. Promove também o Lapinha Museu Vivo: encontro de culturas de raiz (prêmio postos de memôria IBRAN 2012). 

Carem Abreu > Diretora do Filme PAZ NO MUNDO CAMARÁ

 

Produtora Executiva, cineasta, jornalista e capoeirista angoleira. Atua desde 1996 nos setores Audiovisual e de Culturas Populares como Pesquisadora, Gestora Cultural, Diretora, Roteirista, Produtora Geral, de Elenco e de Set. Entre 2008 a 2012 realizou uma pesquisa sobre a contribuição afro-brasileira na cultura e na história do Brasil, pelo viés da capoeira angola,  em cinco estados: RJ, BA, PE, AL e MG. A pesquisa “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá” resultou na criação de 20 produtos culturais transmídia, entre site, revista, oficinas de capacitação, vídeos, eventos e DVD. O projeto foi patrocinado pelo prêmio Capoeira Viva e Fundo Estadual de Cultura de MG. Representante de Minas Gerais no Prêmio Rodrigo de Melo Franco 2013, do IPHAN, categoria Comunicação e Mobilização Social. FORMAÇÃO: Mestre em Midiatização e Processos de Interação - PUC MG. Bacharel em Comunicação Social – Jornalismo e  RTV (Radialismo) pela UFMG. Atua desde 2007 como Produtora Executiva da ATOS CENTRAL DE IMAGENS. Diretora Cultural da  Acesa 2007 / 2013. Produtora Executiva do "Aldeia Kilombo Século 21" e "Lapinha Museu Vivo no mês da Abolição: encontro de cultura de raiz". Vice-presidente da Congresso Brasileiro de Cinema.

Ramon Lopes (Mestre Negoativo > Diretor do Filme LAMPARINA BANTUS 

 

 

Filho de Bento Lopes das terras Diamantineses e de Dorly Augusta de Conceição do Mato Dentro. Tem 45 anos nasceu na comunidade do Maria Goretti, periferia na regional nordeste da capital mineira. Concluiu o ensino fundamental na Escola Estadual José de Isidoro Miranda e o ensino médio no Colégio Três Poderes. Através da arte a Capoeira e a Música descobriu e assumiua sua africanidade. É um dos fundadores do Porto de Minas Capoeira e criou o Bloco Afro Porto de Minas, o Projeto Kilombola e o grupo Berimbrown. Em 2011 iníciou-se no universo literário lançando sua primeira "obra", o livro: "Capoeiragem no país das Gerais". Pela Editora Nandayla. Projeto de lei Federal de Incentivo. Patrocínio: CEMIG e Governo do Estado. Desde 2005 componhõe o corpo de coordenadores do Programa Valores de Minas da área de Música. 

Carla Maia > Diretora do Filme RODA

 

 

Vive e trabalha em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Comunicação Social da FAFICH/UFMG. Ensaísta e pesquisadora de cinema, atua também como curadora, professora, realizadora e produtora. É diretora do documentário Roda, co-dirigido por Raquel Junqueira. Integra o coletivo  Filmes de Quintal, que realiza o forumdoc.bh: Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte.

Chiquinho Matias > Diretor do Filme MESTRE CONGA O INCOFIDENTE DO SAMBA

 

 

Chiquinho Matias é Ator e Diretor sindicalizado pelo SATED, cineasta formado pela Faculdade UMA em Cinema e Audiovisual, trabalhou nas áreas de direção, produção e fotografia de documentários, ficções e trabalhos institucionais. 

AIC: Associação Imagem Comunitária

 

A Rede Jovem de Cidadania (RJC) é um projeto realizado pela Associação Imagem Comunitária (AIC). A RJC é uma rede participativa que envolve centenas de grupos e coletivos de Belo Horizonte, especialmente da região metropolitana. A proposta é que as juventudes e grupos comunitários deem visibilidade para diversas iniciativas nos campos da cultura e da cidadania. Uma das ações da Rede Jovem é produzir um programa de televisão, que conta com a colaboração desses grupos e coletivos juvenis. Esta participação ativa durante o processo de produção audiovisual faz com que um programa seja diferente do outro, uma vez que os grupos apresentam os temas e constroem junto com a equipe da RJC, a produção a ser veiculada. Dessa forma o projeto abre espaço para a expressão e para a discussão de questões ligadas às vivências cotidianas e experiências culturais e políticas. Ao produzir representações sobre si e sobre suas realidades, as pessoas envolvidas criam outras imagens, que deslocam os estereótipos e preconceitos frequentemente associados às juventudes e às comunidades.