Diretores

Alexandre Naval > Diretor do Filme ROAD MOVIE À MODA NORTE MINEIRA

É autor-roteirista, diretor de cinema pela Academia Internacional de Cinema/SP, Produtor/Diretor de Televisão/Rádio pela UNIBAN/SP, DRT: 38.364/SP. Trabalhou na produção publicitária do Corolla 2012, da O2 filmes do diretor Fernando Meireles, com Selton Melo e Wagner Moura. Diretor de Fotografia no filme Black Tarja, estrelado pelo cantor/ator OTTO. Ministrou curso na Tv NGT (SP), Tv Juruá filiada ao SBT e Tv Integração da Band no estado do Acre. Ganhou cinco prêmios no cinema nacional de curtas metragens.

 

Thiago Fernandes > Diretor do Filme Eu pareço suspeito

Entre enquadros, prisões, invisibilidade, racismo e mortes muito próximas, o diretor inverte a lente e busca entender os motivos do seu estereótipo ser considerado suspeito. 

Cristiano Pereira da Silva > Diretor CABECEIRA DO TURCO

Cristiano Silva ou Cristiano Rato, morou quase sempre em favelas e periferias de Belo Horizonte e RMBH, é documentarista, contista e poeta. Formado em Comunicação Social, e pesquisador-extensionista no Programa Polos de Cidadania da UFMG, onde trabalha com fortalecimento de grupos historicamente vulnerabilizados e violações de direitos pelo Estado. Todo este universo quase sempre dialoga com sua produção artística.

Dandara Andrade > Diretora de CONGADO.DOC - do rosário à coroa

Dandara Andrade é jornalista especializada em cinema. Tem passagem pela Rede Minas, TV Balcão e Gabiroba Vídeo. Realizou produções independentes com The Kumite – FLAGCX, Trem Chic Cine Video Lab, Rubinho do Vale, Cia dos Aflitos, Guarda de Congado União de Nossa Senhora do Rosário, UEMG, Estúdio Milímetro, Associação Arebeldia Cultural e Casulo Cultura. Seu primeiro documentário como diretora, BH NO RITMO DA LUTA, participou de cerca de dez festivais em três estados brasileiros, ganhando o prêmio de melhor filme na Mostra Jovens.mov, no Centro Cultural da Justiça Federal - RJ. Com o seu segundo filme, CONGADO.DOC, e com o curta QUATRO PAREDES, no qual atuou na produção de set, participou da 2ª Mostra Sesc de Cinema e da 12ª Mostra Cine BH.

Daniel Leite > Diretor do KABADIO- Aqui o tempo não tem pressa, anda descalço

Formado em cinema pela Université Lumière Lyon II na França, Daniel Leite começou sua carreira como fotógrafo de moda, assinando diversos editoriais de moda no Brasil e na França. Na televisão assinou a fotografia de séries como: Tudo Novo de Novo, Aline, Relógio da Aventura, Papel de Pai e Reforma de casais. Foi Diretor e Diretor de Fotografia da Expedição Oriente - Família Schurmann . Atualmente Daniel dirige a fotografia do longa-doc "Vidas Embarcadas" sobre diferentes pessoas que trabalham no mar.  É o Autor, diretor e Diretor de Fotografia do longa metragem "Kabadio, o tempo não tem pressa, anda descalço" - Rodado no sul do Senegal - (Festival do Rio 2016, AFFRIF - Nigéria, EFF BRICS - Russia 2016, Cine Cipó 2017 - Brasil, Cine Mis 2018 - Brasil , Black Star Film Festival - Gana, Sofia Biting Docs - Bulgária, Social Machinery - Italia, dentre outros).

 

Gabriela Matos > Diretora do Filme FAVELA EM DIÁSPORA

Universitário UNA (2018) e Técnico em Produção Cultural com ênfase em Audiovisual pela Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia (2014).Tem a fotografia estática e em movimento como principal área de atuação e desenvolve pesquisas e projetos a partir de temas que permeiam sua vivência, como gravidez na adolescência, juventudes periféricas, questões raciais, feminismos,entre outros.

Atualmente distribui o primeiro documentário assinando a direção, chamado“Favela Em Diáspora”, que aborda a entrada do projeto “Vila Viva”no Morro do Papagaio na visão dos moradores, através do viés do pertencimento.É umas das idealizadoras da produtora RENCA Produções e Interações Culturais."

 Gilberto Alexandre > Diretor de A MULHER DA CASA DO ARCO-ÍRIS

Gilberto Alexandre Sobrinho é professor de estudos do audiovisual, no Instituto de Artes – Unicamp (Campinas – SP). Tem longa experiência no ensino e na pesquisa sobre autoria, arte, política e questões identitárias em diferentes linguagens e formatos. Realizador no campo do documentário dirigiu os curtas-metragens Diário de Exus (2015), A Dança da Amizade, Histórias de Urucungos, Puítas e Quijengues (2016), Um pouco de tudo, talvez (2017) e A mulher da casa do arco-íris (2018).   

Lucas de Jesus > HUMANIS CAUSA

Ator, produtor e cineasta, o capixaba lucas de jesus fez faculdade de artes cênicas na universidade federal de ouro preto/mg cursou publicidade, direção cinematográfica e realização em vídeo, também se profissionalizou em edição de vídeo pelo senai e em produção de eventos e projetos pelo rio webfest. Realizou dois filmes curta-metragens, o primeiro chamado “sinfonia de ouro preto” que foi lançado no festival de cinema de ouro preto em 2013 e o segundo filme lançado em 2018 chamado “o homem morto” que tem o ator luso-brasileiro Thiago Justino como protagonista do filme

Ana Stella e Rodrigo Sena > Diretor do filme A GRANDE CEIA QUILOMBOLA

Pós Doutorada em Antropologia Cultural (ICS/Universidade de Lisboa) e CRIA (Universidade Nova de Lisboa), foi fellowresearcher no Museu de Africa Central, Tervuren (Belgica).

Doutorada em Linguística Africana (Universidade de São Paulo).

Trabalha com Antropologia Visual, Etnomusicologia e Antropologia da Religião.

Foi proponente de alguns projetos artísticos/educacionais que permitiram a  realização de documentários.

 

 

Fotógrafo e realizador audiovisual. Trabalha no departamento de câmera como assistente, operador de câmera, foquista. Além de trabalhos ligados ao audiovisual independente, trabalha como freelancer no mercado publicitário e jornalístico.

Em 2014, participou de residência artística em Montevidéu - URU, desenvolvendo um trabalho multimídia para um projeto contemplado pelo edital Iberescena.

No fotojornalismo esteve durante 10 anos (2003-2013) na redação de jornal impresso, foi correspondente de revistas nacionais, fez peças publicitárias, foi assessor de imprensa da Prefeitura do Natal.

Danilo Candombe e Thiago Nascimento > Diretores do Filme QUANTO VALE?

Thiago Nascimento Iniciou a carreira como cinegrafista e editor de vídeo, Câmera e edição da curta-metragem

“O 1º filme a gente não es­quece”. 16º Festival de cinema de Tiradentes.

Roteiro e direção do videoclipe “A Causa é Nossa”, Centro Cultural Tambolelê /BH

Roteiro, assistente de direção e câmera no videoclipe Berimbrown - BE­SOURO. Diretor do documentário “Quanto Vale”, que conta a história do maior crime socioambiental do Brasil no distrito de Bento Rodrigues em Mariana, na região Central de Minas Gerais .

Diretor do documentário “Gustavii”.  Diretor, roteirista e editor da curta-metragem de ficção “I-Jorge”.

Direção e edição da websérie “Vendedora de Sonhos” episódios I e II – Coletivo Coisa de Preto. Belo Horizonte

Direção, edição e finalização do institucional da Papum Escola de cir­co.

Produziu um vídeo para web do Brazilian Day em Stockholm na Suécia, mostrando um apanhado de varias apresentação artística.