FILMES exibidos nesta edição

KABADIO
[16'09, 2016, RJ, Rio de Janeiro]. (Senegal Casamança) -  Direção - Daniel Leite


SINOPSE: No coração do Senegal, um pequeno vilarejo muçulmano chamado Kabadio é uma espécie de éden místico protegido por líderes religiosos. Este é o cenário para fascinantes histórias de personagens reais que lutam para sobreviver, mantendo suas tradições, em meio à guerra civil e ao contrabando de mercadorias.

HUMANIS CAUSA  
[ 19'59, 2018, RJ, Rio de Janeiro] - Direção: Lucas de Jesus

SINOPSEHUMANIS CAUSA é uma reflexão ativa sobre os direitos humanos, sobre brasilidade e sobre a conjuntura atual de nossa sociedade. Cerca de 25 atores em cena transmitem, de uma maneira clara e objetiva, nossa realidade atual e através do olhar clinico e único da fotografia do cineasta Neville D'almeida somos colocado em uma posição de participante ativo da obra, trazendo assim uma maior relação de espectador-obra-palco. HUMANIS CAUSA é a nossa luta por direitos.

FAVELA EM DIÁSPORA 
[21'56, 2017, MG, Belo Horizonte] - Direção: Gabriela Matos 


SINOPSE: "Em meio a uma desapropriação o que fica? Memórias, de um povo que está á margem do asfalto. Moradores do Morro do Papagaio relatam através de suas vivências como o processo de migração compulsória realizado por um projeto da prefeitura, provoca uma ruptura em suas histórias

QUANTO VALE? 
[10', 2016, MG, Belo Horizonte] - Direção: Danilo  Candombe e Thiago Nascimento

SINOPSE: O MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens, organizou uma marcha fazendo o caminho inverso da lama ao longo da extensão do Rio Doce, iniciando em Regência - ES - até Bento Rodrigues distrito de Mariana – MG. Uma marcha para cobrar e para lembrar do maior crime socioambiental do Brasil.

CONGADO.DOC- do rosário à coroa 
[10', 2016, MG, Esmeraldas] - Direção: Dandara Andrade

SINOPSE: Brasil, MG, Esmeraldas, 2016. A festividade do Congado, com raízes no deslocamento compulsório das populações africanas para o Brasil, percorre as ruas da cidade. A mistura de elementos de suas crenças e a devoção aos santos católicos expõem o sincretismo de maneira única e emocionante. Vestem-se com gungas, chapéus e turbantes. Erguem-se espadas, bastões e tambores. Dançam, rezam, lamentam e coroam. Uma tradição mantida por poucas famílias e que ainda enfrenta muitos obstáculos e preconceitos para manter-se viva.

CABECEIRA DO TURCO 
[15'19, 2017, MG, Conceição do Mato Dentro] - Direção: Cristiano Pereira da Silva

SINOPSE: Documentário realizado em 2017 junto a comunidade da Cabeceira do Turco, na zona rural do distrito de São Sebastião do Bom Sucesso (Sapo), em Conceição do Mato Dentro, onde os moradores relatam diversas violações de direitos da mineradora inglesa Anglo American.

EU PAREÇO SUSPEITO
[27`, 2018, SP, São Paulo] - Direção: Thiago Fernandes

SINOPSE: Entre enquadros, prisões, invisibilidade, racismo e mortes muito próximas, o diretor inverte a lente e busca entender os motivos do seu estereótipo ser considerado suspeito.

ROAD MOVIE À MODA NORTE MINEIRA
[19'39, 2018, MG, Montes Claros] - Direção: Alexandre Naval

SINOPSE: O filme mostra a decadência de uma dançarina que fez muito sucesso na cidade de Montes Claros, MG, na década passada. Uma viagem irá transformar a sua vida e de todos que estão ao seu redor.

A MULHER DA CASA DO ARCO-ÍRIS
[23`24, 2017/18, SP, Campinas] - Direção: Gilberto Alexandre

SINOPSE: O curta conta a história de Mãe Dango, sacerdotisa do Candomblé Angola. Sua trajetória é marcada pela ancestralidade herdada de seu pai, que lhe passou os ensinamentos da cultura bantu, e atravessada por episódios de superação e conquistas diante do racismo violento do país. A Casa do Arco-Íris, que ela define como um quilombo, abriga todos os seus filhos e é onde se cultuam os inquices. Ali se constrói mais um capítulo da história da resistência negra no Brasil.

A GRANDE CEIA QUILOMBOLA
[52`, 2017, MA, Guimarães] - Direção: Ana Stella Rodrigo Sena

SINOPSE: Quilombo de Damasio, terra doada por um senhor de engenho a três de suas escravas, o alimento tem sido secularmente cultivado e extraído da natureza de forma parcimoniosa, fazendo parte de uma estrutura social que privilegia o grupo. O documentário retrata parte destes saberes, tendo a comida um papel fundamental na coesão do grupo.